Uma singela homenagem

Há algumas semanas decidi que iria escrever algo para o Dia Internacional da Mulher. Algo que fosse significativo e digno da data.

Pensei que uma boa linha seria me basear em grandes mulheres, reconhecidas por suas obras e que poderiam me inspirar a escrever. Escolhi Nina Simone e Simone de Beauvoir.

Achei que seria uma escrita tranquila, que as palavras fluiriam naturalmente. Muitos assuntos para abordar! Que me bastaria assistir aos dois documentários, relacioná-los com alguns textos e experiências minhas, e pronto.

Que nada!

Esse não é um tema simples. Não é algo que se escrevem algumas linhas. E se eu não conseguir abranger tudo?

Não é possível abranger tudo. Primeiro porque não tenho conhecimento e vivência para isso. Segundo porque seria sempre a minha perspectiva. E não. As perspectivas são muitas. E todas merecem ser ouvidas, refletidas, debatidas.

Alguns temas são específicos de uma determinada época, mas outros percorrem todas as gerações. E isso ficou claro para mim ao assistir os dois documentários.

By Cristina Aun

By Cristina Aun

O que queremos enquanto mulher talvez possa se resumir em duas palavras que, para mim, são inseparáveis: liberdade e escolha.

Liberdade para sermos exatamente quem somos e/ou o que quisermos ser.

E o direito à escolha: de nossos papéis, de nosso ir e vir no mundo.

Queremos amar e ser amadas por isso, queremos ser respeitadas por isso, e queremos compartilhar isso.

E que fique claro: queremos isso junto. Todos juntos!

p.s.: essa é uma singela homenagem às mulheres que lutaram, lutam e lutarão pelo espaço e direito das mulheres no mundo; às mulheres de carne e osso que buscam em seu dia a dia uma vida mais justa, mais amável e com mais respeito.

Author: Cristina Aun

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *