Business Model You – O Método de uma Página para Reinventar sua Carreira – Parte 2

Na semana passada comecei a falar sobre o Business Model You aqui e me propus o desafio de elaborar o meu próprio Quadro de Modelo de Negócios Pessoal (ou Canvas Pessoal). Tudo muito fácil e prático, certo?

Errado! Esse foi o meu grande engano!

O guia para preenchimento do quadro realmente é inspirador, simples e muito prático! Algumas perguntas e pronto: conseguimos capturar o nosso plano de carreira e ainda temos um processo para colocá-lo em prática.

Image courtesy of ningmilo at FreeDigitalPhotos.net

Image courtesy of ningmilo at FreeDigitalPhotos.net

As dificuldades surgem quando temos que preencher os campos com as nossas respostas. As nossas habilidades, os nossos interesses, os nossos talentos, a nossa proposta de valor…! E nem sempre temos essas respostas!

Algumas das perguntas que devem ser respondidas para o preenchimento do nosso Canvas Pessoal são fáceis e rápidas. Mas em sua maioria, são perguntas que não nos fazemos com frequência e por isso não temos as respostas na ponta da língua. E só o fato de pararmos para refletir sobre questões que são de nosso interesse pessoal já é um ótimo exercício para o nosso autoconhecimento!

Para elaboração dos 9 blocos do nosso Canvas, somos levados a refletir sobre as seguintes questões:

Recursos-chave: Quem é você? O que você possui?

Nesse bloco devemos listar os nossos interesses, nossos talentos, nossas habilidades, nossa personalidade e o que possuímos. De acordo com o guia, os nossos interesses – as coisas que nos empolgam- podem ser o nosso recurso mais precioso e portanto, também devem ser listadas.

Atividades-chave: O que você faz?

Nesse bloco deverão ser listadas as principais atividades, físicas ou mentais, que desenvolvemos. Devemos levar em consideração não a nossa lista de tarefas diárias, mas sim as atividades verdadeiramente importantes, que diferenciam o nosso trabalho dos outros.

Clientes: Quem você ajuda?

Neste bloco do quadro devemos mencionar os Clientes que ajudamos. Devemos nos lembrar  que  Clientes são aqueles que pagam para receber um benefício (ou que recebem um benefício, sem nenhum custo e são subsidiadas por outros clientes pagantes). Os nossos clientes, ou grupo de clientes são as pessoas da nossa organização que dependem da nossa ajuda para conseguir o trabalho feito. Isso inclui chefes, supervisores e ou subordinados.

Devemos pensar ainda sobre as seguintes questões: Que papéis desempenhamos em nosso trabalho? Servimos a outros dentro da organização? Facilitamos o trabalho de colegas? Quem depende do nosso trabalho ou se beneficia dele? Essas pessoas podem não nos pagar diretamente, mas o nosso desempenho no trabalho é a razão pela qual vamos continuar a receber o pagamento.

Proposta de valor: Como você os ajuda?

Essa para mim é uma das perguntas mais importantes e também mais difíceis de ser respondida. Esse é o momento de definir o valor que fornecemos para os clientes.

Uma das formas de definir valor é fazendo o questionamento: Para qual trabalho o cliente me “contrata” para realizar? Que benefícios o Cliente recebe como resultado desse trabalho?

Canais: Como chegam até você?  Como você entrega?

Este bloco é composto por cinco fases do processo de marketing que podem ser descritas em perguntas:

  1. Como os clientes potenciais descobrem como você pode ajudá-los?
  2. Como eles decidem se compram o seu serviço?
  3. Como eles compram?
  4. Como você entrega o que os clientes compram?
  5. Como é que verifica/acompanha os clientes para obter certeza que estão felizes?

Relacionamento com Clientes: Como vocês interagem?

Como podemos descrever a nossa forma da sua interação com os Clientes? Você fornece o serviço pessoalmente, através de e-mail ou outras comunicações escritas? Como são desenvolvidos os  seus relacionamentos com os clientes?

Parcerias Principais: Quem ajuda você?

As parcerias principais são  aquelas que nos apoiam como profissional e nos ajudam a desenvolver o nosso trabalho com sucesso. Aqui podemos listar, colegas, professores, mentores, familiares membros do nosso network.

Fontes de Receitas e Benefícios: O que você ganha?

Neste bloco devemos listar todas as nossas fontes de renda, desde salário até os benefícios como seguro de saúde, auxílio alimentação e pagamento de escola ou cursos.

Estrutura de Custos : O que você oferece?

A estrutura de custo abrange o que oferecemos ao nosso trabalho – Tempo, energia e dinheiro.

Devemos listar também aqueles custos que não poderão são reembolsados tais como: assinatura de internet, gastos com telefone ou gastos com utilidades que surgem do trabalho executado. Nos custos também podemos incluir o estresse ou insatisfação advindos das atividades-chave desenvolvidas.

Ao final do processo, somos convidados a refletir sobre a direção da nossa vida e em como podemos alinhar nossas aspirações pessoais e profissionais; a  revisar ou reinventar a nossa carreira profissional utilizando as informações descobertas durante o processo de preenchimento do Canvas;   e a agir, aprendendo a fazer as coisas acontecerem.

Na correria da nossa rotina, às vezes não paramos para refletir sobre nós mesmos, nossos relacionamentos e nossos caminhos profissionais. A leitura do Business Model You  me ajudou a pensar, de forma estruturada, sobre um assunto que é tão complexo e pessoal. Pude perceber que não tenho todas as respostas, mas esse processo foi fundamental para o surgimento de novas descobertas e aprendizados que irão nortear os meus próximos passos.

Author: Mirelle Rocha

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *